A escrita visceral de Renegado em “Outono Selvagem” faz uma crônica da vida. Somos todos pecadores cheios de vícios e virtudes que são nada mais que tentativas de sobrevivência. Sobreviver ao caos, ao individualismo, ao ódio. Trazer o outro para perto, afinal a luta por um mundo melhor tem que ser coletiva.

#OutonoSelvagem

A provocação contida em “Outono Selvagem” é na verdade, uma reflexão sobre o bem e o mal, e como ambos estão presentes em cada um, com muitas nuances, prevalecendo em maior ou menor grau de acordo com as escolhas que se faz pelo caminho.

Terceiro álbum da discografia de Flávio, “Outono Selvagem” traz sete músicas inéditas – com participações especiais de Diogo Nogueira e Sérgio Pererê - e reúne as as outras sete faixas do EP “Relatos de Um Conflito Particular”. Uma composição do próprio rapper, “Corda Bamba” conta com a estreia da mineira Joana Rochael. Confira acima!

 

BIO

Nascido e criado na comunidade do Alto Vera Cruz, em Belo Horizonte, Flávio Renegado enxergou na música um caminho que o faria voar alto. Ainda adolescente, fez as primeiras rimas influenciado por Racionais MC’s e outros nomes do rap. Aos poucos, desenvolveu uma carreira com personalidade, na qual mistura as rimas a outras referências musicais.

Em 2008, lançou o disco de estreia Do Oiapoque a Nova York, trabalho que o levou para shows na Europa, Oceania e todas as Américas.

A conclusão deste ciclo foi em um show memorável no Central Park, em Nova York. O sucessor Minha Tribo É o Mundo (2011) trouxe uma sonoridade mais urbana, influenciada pela multiplicidade dos movimentos sonoros contemporâneos.

Ele rodou o país e participou de relevantes festivais, como o Back2Black e o Rock in Rio, com a apresentação do trabalho. Renegado concluiu a primeira etapa da carreira com o lançamento do CD e DVD Suave ao Vivo (2014), que teve direção musical de Liminha e Kassin, além da direção artística de Gringo Cardia.

Em 2015, o artista lançou um EP. “Relatos de um Conflito Particular” traz como tema os sete pecados capitais ilustrados em sete faixas. A produção musical é do próprio e conta com participações de Alexandre Carlo (Natiruts) e Samuel Rosa (Skank), além de 2 clipes: “Só Mais Um Dia”, com formato 360º e “Redenção”, ambos com direção de Erich Batista e Flávio Renegado.

Instigado pela repercussão do EP sobre os sete pecados, Renegado emerge em seus conflitos pessoais e compõe outras sete músicas relacionadas às virtudes, contando a própria história. Assim nasceu “Outono Selvagem” (Som Livre), reunindo as canções do EP e as inéditas num mesmo álbum com 14 canções.

Youtube


Facebook

Instagram

Faça parte da comunidade

E receba um salve, notícias e novidades pelo e-mail.

Salve!
Dê uma olhada na sua caixa de entrada. Mandamos um e-mail de confirmação.